Caixas de tomate: normalização e ganho produtivo

  • Mauro Alessandro Bruno Pinto Opet
  • Silvia Maria Fonseca Kasprzak OPET
  • Luis Fernando Fonseca Kasprzak PUCPR
  • Elisangela Lobo Schirigatti UFPR
Palavras-chave: Parâmetros, Caixas K e M, Abordagem qualitativa

Resumo

O presente trabalho visa analisar as embalagens de madeira utilizadas para o transporte de tomate “in natura” no mercado hortícola nacional. O estudo adotou a ferramenta Análise Paramétrica para compor uma análise comparativa das embalagens selecionadas. Entre os aspectos avaliados para identificar a adequação e desempenho das embalagens foram analisadas as conformidades das dimensões da caixa para paletização e unitização adaptado às características físicas do fruto. A caixa de madeira X analisada está em conformidade com a norma conjunta que regulariza o mercado, seu uso não é proibido, porém apresenta algumas limitações. A embalagem de madeira não impede o movimento tangencial entre os frutos e a compressão da própria carga pela sobreposição dos frutos dentro embalagem. A madeira apresenta abrasividade aos frutos durante o transporte e compressão e pode apresentar acúmulo de umidade. Portanto, deve receber tratamento adequado para reduzir sua umidade e apresentar menor rugosidade na superfície das lâminas.

Biografia do Autor

Mauro Alessandro Bruno Pinto, Opet

Pós-graduada em Gestão empresarial, pelas Faculdades OPet. Graduada em Gestão da Informação pela UFPR. Atua como Designer Instrucional pelo IFPR.

Silvia Maria Fonseca Kasprzak, OPET

Pós-graduado em Design de Embalagens, pela UTFPR. Graduado em Publicidade e Propaganda pela PUCPR. É professor das Faculdades Opet.

Publicado
16-12-2013
Como Citar
Pinto, M. A., Kasprzak, S. M., Kasprzak, L. F., & Schirigatti, E. (2013). Caixas de tomate: normalização e ganho produtivo. Produção Em Foco, 3(2). Recuperado de https://producaoemfoco.org/producaoemfoco/article/view/39
Seção
Artigos